Notícias

21 de Fevereiro de 2018
Homem passando pente nos cabelos e exibindo calvície provocada por alopecia | Alopecia: entendendo a queda capilar

Alopecia: entendendo a queda capilar

Muitos homens acham que é comum perder os cabelos com o passar da idade, e muitas mulheres costumam colocar a culpa em alguma disfunção hormonal, mas a perda rápida e repentina de cabelos, na cabeça ou em qualquer outra região do corpo na verdade é uma doença que chamamos de alopecia.

O que acontece nesse diagnóstico é que o cabelo cai em grandes quantidades, deixando à mostra o couro cabeludo ou a área que antes era coberta por pelos. As causas são variadas, e o tratamento vai depender do tipo de alopecia desenvolvida pelo paciente.

Escova com grande quantidade de fios de cabelo | Alopecia: entendendo a queda capilar

Tipos de alopecia

A alopecia pode surgir por várias causas, caracterizando diferentes tipos da doença. As principais são:

Alopecia Areata

Causa pelo sistema autoimune ou devido a quadros de estresse ou outros problemas emocionais, a alopecia areata se manifesta com uma intensa queda de cabelos que forma áreas circulares na região afetada.

Alopecia androgênica

A alopecia androgênica é a perda permanente de cabelos, mais conhecida como calvície. As suas causas mais frequentes são genéticas, principalmente associada à taxa de testosterona, e por isso é mais comum nos homens.

Alopecia traumática

Em quadros de alopecia traumática, a queda dos cabelos acontece por conta do hábito de arrancar os fios constantemente ou devido a um trauma na cabeça.

Alopecia secundária ou medicamentosa

Neste tipo de alopecia, a queda nos cabelos pode ser efeito colateral de outro tratamento, como no caso do tratamento quimioterápico do câncer, ou pode ser ainda sintoma de algum distúrbio nos órgãos, como doenças ou infecções.

Outras causas que podem levar à perda dos cabelos

Além desses tipos de alopecia, a queda progressiva de cabelos pode acontecer por diversos outros motivos, como uma dieta deficiente em ferro, alergia a glúten ou lactose, como sintoma da dermatite seborreica, uso de produtos químicos, alterações na tireoide, entre outros.

Grupo de risco

A alopecia atinge mais homens do que mulheres e, como imagina o senso comum, a doença tem sim uma relação com a idade: as chances de desenvolvê-la aumentam consideravelmente a partir dos cinquenta anos de idade.
Nas mulheres, apesar de menos comum, a alopecia aparece mais cedo, a partir dos 30 anos de idade.

Quando desconfiar que a queda dos cabelos é sinal de alopecia?

A alopecia é caracterizada pela perda rápida e progressiva dos fios de cabelo. Então, preste atenção no seu travesseiro ao acordar, se o seu cabelo está caindo mais do que o normal durante o banho, se um leve passar de mão nos cabelos é capaz de arrancar alguns fios e, principalmente, se é possível ver facilmente o seu couro cabeludo em algumas áreas da cabeça.

Dermatologista analisando cabelos de paciente | Alopecia: entendendo a queda capilar

Qual o tratamento?

O primeiro passo para o tratamento correto é se consultar com um dermatologista. Ao contrário do que se pensa, o dermatologista não é o médico responsável apenas pela saúde da pele: qualquer problema nos cabelos e unhas também deve ser tratado por um médico especialista em dermatologia.
Se a causa da queda de cabelos estiver relacionada a fatores emocionais, o paciente pode ser encaminhado a um psicólogo e, em casos de problemas hormonais, a um endocrinologista.
Antes de se consultar, faça um diário anotando quando a queda começou, se existem outros sintomas, casos de abalos emocionais que podem estar relacionados a ela e um pequeno histórico familiar.
O tratamento pode ser feito de diversas formas, cabendo ao dermatologista analisar o seu quadro e o estágio da doença para se decidir. Entre os principais tratamentos estão injeções de esteroides, medicamento aplicados na pele onde houve a queda de cabelos, terapia com luz ultravioleta e medicamentos via oral.

Passando pelo tratamento da alopecia

Durante o tratamento, o uso de chapéus e faixas para disfarçar o problema está liberado. Os procedimentos apresentam bons resultados, mas é importante começá-los cedo e antes da perda total dos cabelos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *