Notícias

25 de outubro de 2017

Câncer de Mama: Cirurgia de Reconstrução

O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres no mundo todo, em geral, pelo número de casos, ele só fica atrás do câncer de pele não melanoma e representa cerca de 28% dos casos de câncer registrados a cada ano.

Uma das principais razões que torna o câncer de mama mais assustador, além da alta incidência, que outros cânceres é que ele pode indicar a retirada total ou parcial das mamas da paciente, causando um grande impacto em sua autoestima.

Relativamente raro em homens e mulheres jovens, o câncer de mama ainda acomete a esse grupo, mas o de risco são mulheres após os 35 anos. Depois dessa idade, sua incidência segue crescendo progressivamente.

Tratamento para o Câncer de Mama

Câncer de Mama: Cirurgia de ReconstruçãoPara escolher o melhor tratamento, é levado em consideração diversos fatores, como estágio da doença, características do tumor, idade do paciente e quantidade de linfonodos axilares comprometidos.

Para as mulheres que, no diagnóstico, apresentarem maiores riscos de células tumorais em outros órgãos, são indicados tratamentos como hormonioterapia, quimioterapia, radioterapia e terapia-alvo.

Em casos em que uma cirurgia é necessária, existem três opções que também vão depender de diversos fatores como estágio da doença e localização do tumor.

A mastectomia é a opção mais famosa e utilizada, que consiste na retirada de todo o seio, com pele, aréola e mamilo. As outras cirurgias possíveis no tratamento do câncer de mama são a adenectomia, que remove a glândula mamária, e a quadrantectomia, que remove apenas o câncer e o tecido ao redor dele.

Reconstrução Mamária

Mãos tocando uma prótese de silicone | Câncer de Mama: Cirurgia de ReconstruçãoNão importa a técnica cirúrgica escolhida, ela vai mudar as mamas da paciente e, por isso, muitas delas optam por cirurgias plásticas de reconstrução.

Muitas mulheres escolhem realizar a reconstrução logo após a retirada das mamas, mas é importante saber que os seios reconstruídos não vão ter a mesma sensibilidade que os originais e, como toda cirurgia, ainda vão haver cicatrizes.

Para casos em que apenas um seio é afetado, é possível reconstruir apenas um e realizar a redução ou aumento do outro seio para que fiquem simétricos. A reconstrução das aréolas e dos mamilos não são refeitas na cirurgia de reconstrução, sendo feitas depois com tatuagens, enxertos de pele ou transferência de parte de um mamilo para outro.

A retirada total das mamas dificilmente causará algum problema físico para a mulher, agora, se apenas uma mama for retirada, podem acontecer problemas de equilíbrio, postura e dores na coluna. Antes de fazer sua decisão é importante conversar com o seu cirurgião sobre todas as opções que você tem de reconstrução ou não.

E se eu não quiser fazer uma cirurgia reparadora?

É importante lembrar que a reconstrução das mamas é uma opção da mulher. É comum que muitas delas optem por ficar sem os seios a passar por mais uma cirurgia, ou por não poderem bancar as cirurgias plásticas ou por não poderem realizá-las por outro motivo, como obesidade e anorexia.

Para aquelas que não querem uma nova cirurgia, também existem opções. Elas podem usar próteses, dentro do sutiã ou presas ao corpo, que simulam a aparência de seios naturais ou sutiãs próprios para mulheres que passaram pela cirurgia de retirada das mamas.

As mulheres que não quiserem realizar a reconstrução e utilizar próteses de silicone ainda podem fazer a reconstrução do mamilo e da aréola. É tudo uma questão de escolha e conversa com o seu médico.

Cirurgias Plásticas

A Proattiva, clínica médica no Rio de Janeiro, conta com dois cirurgiões plásticos especializados na Escola Ivo Pitangui, uma das melhores do mundo nesse segmento. Conheça melhor nosso departamento de cirurgia plástica e, independentemente da sua escolha, conte com a nossa ajuda.

DEIXE SEU COMENTÁRIO:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *