Notícias

16 de Abril de 2018
Distúrbios Nutricionais na Infância

Distúrbios nutricionais na infância

Segundo a OMS, Organização Mundial da Saúde, um ser humano bem nutrido é aquele que recebe as substâncias necessárias à manutenção da vida, ao crescimento, ao bom funcionamento dos órgãos e à produção de energia.

Parece simples, mas a cada dia é mais fácil encontrar crianças e adolescentes malnutridos, seja por questões socioeconômicas, abandono afetivo familiar ou por questões relacionadas a outras doenças.

Se engana quem pensa que problemas nutricionais são apenas deficiências de vitaminas no organismo facilmente resolvidas com algumas pílulas. A anemia, a desnutrição e a obesidade são problemas sérios e que podem ter consequências ainda mais sérias e que exigem uma mudança no estilo de vida.

Anemia

Duas crianças demonstrando tédio em meio a livros | Distúrbios nutricionais na infância
A anemia é caracterizada por atrasos do crescimento, do desenvolvimento e por alterações de pele, cabelos e unhas, gastrite, alterações de humor, déficits de atenção e diminuição do rendimento físico.

Entre as causas da anemia, estão:

  • Hemorragia aguda: interna ou externa.
  • Hemólise: alterações, dissolução ou destruição nos glóbulos vermelhos.
  • Produção deficiente de hemácias (falta de substâncias como ferro e vitamina B12).

A falta de ferro no organismo é a causa mais comum da anemia em bebês e crianças, e os principais fatores de risco para essa deficiência de ferro são:

  • Amamentação mista e por um período maior que o recomendado;
  • Parto prematuro;
  • Baixo peso;
  • Perda de sangue fetal durante o parto;
  • Parasitismo intestinal;
  • Ingestão de leite cru;
  • Alimentação pobre em ferro.

O tratamento é feito, principalmente, com uma dieta balanceada e rica em vitaminas e com a ingestão de vitaminas em pílulas.

Desnutrição proteico-calórica

Uma dieta pobre em nutrientes leva a desnutrição proteico-calórica, que pode originar de três vertentes:

  • Primaria: tem causas socioeconômicas – pobreza, privação nutricional, más condições de higiene, falta de amamentação, privação efetiva etc.
  • Secundária: outras condições que dificultam a absorção de nutrientes, como o hipertireoidismo.
  • Mista: quando a anemia do paciente é causada por uma mistura de problemas de saúde com as dificuldades socioeconômicas.

Uma dieta pobre também causa queda de energia e, consequentemente, uma adaptação do organismo à quantidade de energia que restou. Isso faz com que as crianças entrem em uma vida sedentária, adquiram baixa imunidade e não cresçam como o esperado para a idade.

O tratamento da desnutrição proteico-calórica vai depender do que a causou, mas em todos os casos, é importante realizar uma dieta hipercalórica para que a criança atinja o peso normal. Porém, isso não significa uma dieta cheia de gorduras e açúcares, mas sim uma dieta que supra a necessidade calórica da criança com foco na qualidade dos alimentos.

Quando a desnutrição é causada por outras condições, o tratamento também é feito com medicamentos. A criação do vínculo da criança com os pais também é importante para que a criança se recupere em menos tempo e com mais intensidade.

Criança obesa com junk food no colo | Distúrbios nutricionais na infância

Obesidade

Considerado um dos principais males do século XXI, a obesidade infantil atinge, hoje, dez vezes mais crianças e adolescentes do que na década de 70, fazendo com que o grupo de pessoas obesas entre 5 e 19 anos passasse de 11 milhões para 143 milhões. No Brasil, estima-se que 9,4% das meninas e 12,7% dos meninos nessa faixa de idade já estão obesos.

Diferente da desnutrição proteico calórica, a obesidade está mais associada a classes econômicas mais altas, que tem mais acesso a alimentos ricos em açúcares e gorduras e com pouco nutrientes.

Além desse fator de risco, a obesidade infantil também pode ser causada por fatores endócrinos, como problemas na tireoide, e psicológicos, como ansiedade e depressão.

O tratamento inclui:

  • Estimulo a alimentação exclusivamente com leite materno na faixa etária indicada;
  • Disciplina com horários para as refeições;
  • Dieta rica em nutrientes e vitaminas;
  • Diminuição no consumo de alimentos industrializados;
  • Incentivo a atividades físicas.

A obesidade, além de deixar a criança suscetível a comentários e gozações na escola – que podem causar profundos problemas psicológicos -, ainda pode desencadear outras patologias, como hipertensão arterial, diabetes e doenças cardíacas.

Procure um médico

O seu pediatra é o melhor médico para identificar e tratar os distúrbios nutricionais do seu filho. Visite o seu pediatra regularmente e sempre realize exames de sangue, o acompanhamento do crescimento do seu filho é muito importante para que ele se desenvolva da maneira correta e diminua as chances de problemas futuros causados por uma alimentação ruim.

DEIXE SEU COMENTÁRIO:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *