Risco Cirúrgico

Risco cirúrgico é a avaliação feita antes de o paciente ser submetido a uma cirurgia, independentemente de sua natureza. Esses exames servem, junto com a avaliação clínica do médico, para verificar as condições de saúde do paciente e tentar prever as possíveis complicações que podem acontecer durante a operação.

Não existe uma especialização em risco cirúrgico, mas os profissionais mais indicados para realizar essa função são o clínico geral, o cardiologista ou o anestesista.

Exame Clínico

O primeiro passo é a avaliação clínica, que vai descobrir os antecedentes do paciente, como doenças, cirurgias, internações, medicamentos usados e histórico familiar.

Tipo de cirurgia

Também é necessário levar em consideração o tipo de cirurgia que o paciente enfrentará.
Procedimentos como endoscopias, colonoscopias e cirurgias superficiais, como na pele e nos olhos, apresentam baixo risco.

Cirurgias no tórax, abdômen, próstata, pescoço, cabeça, ortopédicas e para correção de aneurismas apresentam riscos médios. Cirurgias de emergência e em grandes vasos sanguíneos são consideradas de alto risco.

Exames pré-operatórios

Os exames pré-operatórios são solicitados para verificar o estado de saúde do paciente, principalmente dos órgãos relacionados à cirurgia. Como nem toda cirurgia envolve todos os órgãos, cada paciente deve realizar exames diferentes.
Entre os exames mais comuns pedidos no risco cirúrgico, estão um hemograma completo, testes de coagulação, dosagem de creatina, radiografia do tórax e eletrocardiograma.

Em alguns casos, é claro, podem ser pedidos alguns exames mais complexos e até mesmo a mudança de alguns hábitos, como o tabagismo, meses antes da cirurgia.

Resultados

Muito mais que liberar o paciente para a cirurgia, o médico que realiza o risco cirúrgico é capaz de propôr ajustes para que as complicações cirúrgicas sejam evitadas ao máximo, além de preparar toda a equipe para as possíveis complicações.

Risco Cirúrgico na Proattiva

Dr. Brunnot Amparo de Lima