Notícias

15 de Fevereiro de 2018
Pernas com veias destacadas | Síndrome de May-Thurner

O que é a síndrome de May-Thurner?

A síndrome de May-Thurner, também conhecida como síndrome de Cockett, é a compressão da veia ilíaca comum esquerda pela artéria ilíaca comum direita, causando em uma obstrução parcial ou total ao fluxo sanguíneo.

Ela pode determinar graus variados de insuficiência venosa crônica e, eventualmente, ocasionar trombose venosa profunda.

A causa da síndrome de May-Thurner

O estresse mecânico crônico, ocasionado pelas pulsações da artéria ilíaca comum direita sobre a veia ilíaca comum esquerda, contra a resistência da vértebra lombar, pode ocasionar lesões internas nas veias. Estas lesões levam a um maior ou menor grau de obstrução do fluxo venoso, levando ao aumento da pressão venosa, e a graus variados de insuficiência venosa crônica.

Ao conjunto de sinais e sintomas de hipertensão venosa crônica no membro inferior esquerdo, como varizes, edema, dermatoesclerose, pigmentações e trombose ilíacofemoral, chamamos síndrome de Cockett ou síndrome de May-Thurner.

O diagnóstico da síndrome de May-Thurner

Dra. Debora de Oliveira e Dr. Cláudio Santoro, cirurgiões vasculares da Clínica Proattiva, explicam que pacientes na faixa etária de 20 a 40 anos, que apresentem edema comprometendo membro inferior esquerdo, com sinais e sintomas de insuficiência venosa crônica, devem ser investigados, pois o diagnóstico precoce, pode evitar o aparecimento da principal complicação, a trombose ilíacofemoral.

Exames de imagem, como uma tomografia computadorizada ou uma angioressonância, podem ser utilizadas para o diagnóstico. A ultrassonografia vascular, por não utilizar radiação ionizante e ter um baixo custo, pode ser utilizada de forma rotineira na investigação de pacientes com suspeita desta condição.

Pernas com determinado nível de trombose, devido a Síndrome de May-Thurner

Como a Síndrome de May-Thurne pode causar a trombose?

Como a veia vai estar comprimida, vai ser muito difícil a circulação de sangue nesse ponto. Quando o sangue tem sua velocidade de circulação diminuída, ele sofre uma alteração em sua composição química, o que pode levar a formação de coágulos, também conhecido como trombos, dando início à trombose.

O tratamento

Pacientes portadores de sintomas que não afetem sua qualidade de vida, devem ser tratados e seguidos clinicamente.

Novas terapêuticas, menos invasivas, têm sido empregadas com a cirurgia endovascular. Com a evolução dos materiais e da técnica, bons resultados têm sido obtidos com a angioplastia com balão e colocação de stent.

DEIXE SEU COMENTÁRIO:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *