Notícias

23 de novembro de 2017
Mulher idosa com a mão sobre o peito | O que você precisa saber sobre Arritmias Cardíacas

O que você precisa saber sobre a arritmia cardíaca

Para ser considerado saudável, um coração deve bater entre 60 e 100 vezes por minuto. Qualquer alteração neste ritmo cardíaco é considerada uma arritmia, que pode ser de três tipos diferentes: taquicardia, quando ocorrem batimentos acelerados ; bradicardia, quando estão lentos;  e arritmia de batimentos irregulares.

Homem negro com a mão no peito | O que você precisa saber sobre a arritmia cardíacaQuando suspeitar de uma arritmia?

O coração é um órgão dinâmico e adaptativo. Durante a vida, ele sofre influência direta do nosso peso, idade e até mesmo de nossa atividade física diária. O ritmo cardíaco fisiológico preservado é peça importante da manutenção da função e da longevidade desse órgão.

De acordo com o Dr. Brunnot de Lima, cardiologista na Proattiva, diversos sintomas podem ser indicativos de arritmias, tais como: palpitações, falta de ar, dor no peito, desmaios. Na presença de quaisquer destes sintomas, a consulta com um cardiologista é indicada para o diagnóstico precoce e a intervenção adequada quando recomendada.

 

Médico analisando os resultados de um eletrocardiograma | O que você precisa saber sobre a arritmia cardíacaQue exames são recomendados?

No rastreio cardiológico inicial, sejam os pacientes sintomáticos ou não, o eletrocardiograma (ECG) é o primeiro e essencial exame na avaliação do ritmo cardíaco, pois ele é capaz de fornecer importantes dados, além de ser um exame acessível e indolor, que demora apenas 10 segundos para ser realizado.

De posse do ECG de repouso, que pode ser realizado imediatamente antes da consulta médica ou até mesmo durante a mesma, e após a coleta do histórico clínico do paciente (antecedentes familiares, doenças pré-existentes concomitantes, uso de medicações) é possível já durante uma primeira consulta se ter estimada a característica e gravidade de qualquer potencial arritmia.

Qual o risco de ter uma arritmia?

Após diagnosticada, o tratamento de uma arritmia cardíaca é instituído de maneira específica de acordo com o tipo. Algumas respondem bem ao tratamento medicamentoso, outras necessitam de outros graus de intervenção, e há algumas que oferecem risco potencial mínimo e necessitam apenas ser acompanhadas de forma regular para ter sua evolução observada.

“O maior risco encontra-se em pacientes sintomáticos, sem acompanhamento ou que fazem um tratamento irregular. Os efeitos de longo prazo de algumas podem ser definitivos e levar a insuficiência cardíaca, acidentes vasculares cerebrais, infartos e outros graves eventos irreversíveis”, explica Dr. Brunnot.

Médica examinando o coração de uma paciente | O que você precisa saber sobre a arritmia cardíacaComo se prevenir?

O acompanhamento médico regular, associado a realização de exames de rastreio, é indicado durante toda a vida e é capaz de possibilitar diagnósticos precoces e tratamentos mais eficazes.

Hábitos de vida saudáveis também são essenciais, tais como: alimentação equilibrada – evitando produtos excessivamente industrializados -, manutenção do peso em faixas harmônicas com a superfície corporal e altura, realização regular de atividades físicas orientadas, interrupção do tabagismo. Mesmo indivíduos assintomáticos podem apresentar episódios de arritmia ao longo da vida e o maior ato de prevenção de possíveis sequelas é a informação.

Segundo diretrizes da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), é indicado o acompanhamento médico regular com um profissional cardiologista a partir dos 40 anos de idade. Pacientes que sofrem de doenças que podem afetar o aparelho cardiovascular (hipertensão arterial, diabetes, insuficiência renal) ou possuem história familiar conhecida de doenças cardíacas precoces e graves devem ser mais criteriosos na procura do profissional e da manutenção do acompanhamento.

Cardiologista no Méier

A Proattiva, clínica médica no Meier, conta com mais de 12 especialidades médicas. Conheça nosso departamento de cardiologia.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *